Cimento não é tudo igual, não!

18/02/2018

Você precisa saber qual cura mais rápido, o de maior resistência, o melhor para argamassas e assim por diante.

O cimento Portland é chamado assim porque foi "inventado" em Portland, uma ilha no sul da Inglaterra onde se encontrava um tipo muito bom de pedra para construir chamada Portlandstone, que tem a mesma cor do cimento atual. O cimento Portland comum é composto de calcário,argila e minério de ferro ou bauxita queimados num forno, resultando num material chamado clínquer, que depois de resfriado e adicionado com gesso,são moídos e misturados para formar esse pó bem fino. Hoje misturam- se também outros materiais, chamados pelas indústrias de "adições" para dar características especiais ao cimento. Já se utiliza,misturado ao clínquer, escória de alto-forno, aquele pó bem fino do carvão mineral queimado,argila queimada e até o pó da casca de arroz, imagine! Essas adições tornam o concreto seco tão duro, que fica muito difícil penetrar água e estragar a estrutura. Esses pós bem finos que são adicionados ocupam o espaço entre as pedras do concreto, para não deixar vazios. Cada fabricante possui um padrão de informações, apenas algumas são obrigatórias e devem constar no verso.A norma que rege os cimentos Portland é a NBR 5732/1991. Outros tipos de cimento possuem normas próprias Os fabricantes reservam a parte de trás do saco para dar informações de uso e cuidados com o produto, como se fosse uma bula de remédio: » Como manipular o produto » Perigo de inalação ou contato com os olhos e as mãos » Tempo de cura desejável (quanto tempo deve umedecer o concreto) » Forma correta de estocar » Tempo recomendável de mistura » Como aplicar o produto » Norma de conformidade » Composição do produto » Selo de Qualidade da Associação Brasileira de Cimento Portland Fala-se que o cimento é um aglomerante, isto é, quando entra em contato com a água, endurece e toma a forma que a gente desejar, como pilares e vigas. Também é um "adesivo", ou seja, como argamassa colante, para assentar pedras e revestimentos, unir tijolos de alvenaria etc. O cimento é um material compatível com quase todos os materiais de construção, por isso é tão usado. Mas tudo isso você já sabia.Vamos então agora conhecer os principais tipos de cimento Portland.

TIPOS DE CIMENTO CP-I – Cimento Portland Comum

É um cimento puro, sem nenhuma modificação. Pode ser utilizado em serviços de construção onde não são exigidas propriedades especiais do cimento.

CP-II – Cimento Portland Composto

É um cimento modificado que pode ser aplicado em todas as fases da construção. Pode ser encontrado com três diferentes subtipos: o CP-II – Z, o CP-II – E e o CP-II – F. O tipo II-Z tem pozolanas (cinzas de usina térmica, cinzas de carvão e outras cinzas).É muito indicado, por exemplo, para fazer fossa séptica, porque o concreto dele é mais resistente a ácidos. O cimento II-E tem escória de alto-forno (é o resíduo da produção de ferro nas siderúrgicas) e serve para pisos, lajes e pilares. O II-F tem materiais carbonos (sobras de produtos queimados) e serve para fazer pisos e até tijolos de solo-cimento. Essas adições que estão no cimento e a gente não vê são muito boas,porque ajudam a melhorar o concreto.Além disso,em vez de jogar isso na natureza,eles viram excelente matéria-prima.

CP-III – Cimento Portland de Alto-Forno

É menos poroso e mais durável, portanto resiste melhor em ambientes agressivos. O concreto feito com esse cimento pode ficar exposto a esgoto e a chuva ácida. Usado nas fundações, peças de grandes dimensões e construções de barragens, por exemplo. Porém, evite usá-lo quando precisar tirar a fôrma logo. Pode não ficar com a resistência necessária. Ele pode não oferecer a resistência inicial necessária e ainda como em calda de injeção, pois ele corrói o aço. Também deve ser evitado para fazer chapisco em dias de insolação e vento pois ele não adere aos blocos cerâmicos, por exemplo. Em argamassas colantes, esse tipo pode proporcionar manchas no azulejo.

CP-IV – Cimento Portland Pozolânico

Tem cinza de carvão ou argila queimada e é um cimento pouco poroso. Seu uso é muito mais vantajoso em obras que ficarão expostas à ação de água corrente e em ambientes agressivos. A cura mais lenta o torna adequado a grandes volumes de concreto. Em dias muito frios, ele demora a endurecer.

CP-V-ARI – Cimento Portland de Alta Resistência Inicial

Indicado no preparo de concreto e argamassa e em todas as aplicações que necessitem de resistência inicial elevada e desenforma rápida. Como endurece rápido, pode trincar se a concretagem for feita sob insolação, em dias muitos secos ou com ventos. Evite usá-lo em aplicações corriqueiras, como em revestimento de argamassa ou em concreto-massa pois nesses casos pode trincar e fissurar. Em ambientes agressivos, geralmente esse tipo não é resistente a sulfatos.

RS – Cimento Portland Resistente a Sulfatos

Como o próprio nome diz, são resistentes aos meios agressivos sulfatados, tais como os encontrados nas redes de esgotos domésticos ou industriais, na água do mar e em alguns tipos de solos

BC – Cimento Portland de Baixo Calor de Hidratação

Designado por siglas e classes de seu tipo, acrescidas de BC. Como por exemplo: CP-III-32 (BC) é o Cimento Portland de Alto-Forno com baixo calor de hidratação. Evita o aparecimento de fissuras de origem térmica. Indicado para uso em concreto-massa, como barragens e grandes pilares.

CPB – Cimento Portland Branco

Há dois subtipos: estrutural, quando se quer ressaltar a arquitetura, porque ele não fica cinza e o não estrutural, que a gente usa para rejuntar azulejos. Jamais use em concreto estrutural, pois esse tipo não possui resistência adequada para esse fim.

USE CORRETAMENTE O CIMENTO

* Cuidado com o excesso de água, um dos pontos mais importantes do preparo de concretos e argamassas * Se você não dispuser de medidores de vazão, utilize um recipiente com o volume conhecido que possa ser tomado como base para dosá-la na quantidade indicada * Adense o concreto com o vibrador na posição vertical, na massa de concreto, sem encostá-lo nas fôrmas e armaduras * Para obter uma cura correta é importante manter as argamassas e os concretos úmidos, molhando-os com uma mangueira ou com um regador ou então cobrindo-os com sacos molhados (de estopa ou do próprio cimento) * O processo de cura deve levar pelo menos sete dias * Ao molhar o concreto ou a argamassa no primeiro dia tome muito cuidado para não danificar a superfície, evitando jorro, escorrimento e danos similares

MANTENHA AS EMBALAGENS FECHADAS

* Após retirar a quantidade desejada, mantenha o saco de cimento sempre fechado * As embalagens de cimento são grossas e não ficarão completamente vedadas apenas dobrando as suas extremidades.Use prendedores ou grampos para facilitar essa operação * Os sacos são de papel "Kraft", permeáveis.Portanto, deixe-os longe da água * Armazene as embalagens em locais secos e protegidos do sol e da chuva, empilhando-as sobre estrados também secos e em pilhas com no máximo dez sacos de altura * Em paletes, não faça pilhas com mais de 24 sacos * Mantenha as pilhas (seja as de sacos ou de paletes) afastadas de paredes e separadas entre si, de forma que permitam fácil acesso à inspeção e à identificação de cada lote * O saco de 50 kg só pode ter até meio quilo a menos, porque pode ter ocorrido problema na hora de embalar. Se estiver faltando mais do que isso, troque

Fonte: www.pini.com.br

 

« voltar

Rua Paraguai, 357 - Bacacheri
CEP 82510-090 - Curitiba - PR
Fone/Fax: (41) 3357-8503 |